quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Agora




Deixa eu tirar essa poeira daqui.
Deixa eu tirar essa poeira de nós.
Limpar o lugar onde escrevo, aonde concebo,
qualquer tipo de sentimento... a sós.

Em Quanto tempo as palavras fogem?
Em quanto tempo elas me engolem?
num gole seco de uma bebida qualquer...

quero dizer o que penso da boca pra fora.
o que sinto por dentro, agora!
quero parar de mentir pra mim,
quero chegar ao fim...
E, Enfim, poder recomeçar!

Carolina Augusta

segunda-feira, 13 de agosto de 2012









Aprendi a classificar dentro do peito, aquele tipo de sentimento que berra sabe? e que por inúmeras vezes foi inclassificável. Aprendi que engolir em silêncio de vez em quando, não é agressão...e sim, uma maneira clara, simples e bem mais saudável de dizer a mim mesma: cala a boca! Conte até 3, que já já vai passar...




*Carolina Augusta*

quarta-feira, 30 de maio de 2012







Mente e coração tem sempre de estar em contato... 
Quando um dos dois se manifestar e só der para ouvir um eco, não prossiga! 
Falta de sintonia consigo mesmo mata! 
Aos poucos... mas, mata!


*Carolina Augusta*

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Essencial...



A esperança para mim é como água.
se eu não beber todos os dias, morro ressecada por dentro...

quinta-feira, 29 de março de 2012

*Rubras paixões *

Quero o vermelho dos olhos que
varam a madrugada por alguém.
Da boca, o gosto suave de frutas
vermelhas...

Paixões Irracionais,
Daquelas que dilatam as veias
e transbordam pelos poros.
Desejo de amante.

Corpo mergulhado em pétalas vermelhas;
Exalando...
A paixão fulgaz e dolorida;
como os agredidos e seus hematomas;
Rubras paixões...

Que sem perceber,
viram amor.
Um "tipo" de amor.

*Carolina Augusta




"Me inspiro quando respiro um sonho
Que alimenta a alma e o corpo
Sou cheio de erros, manias, defeitos
Sou agora puro anseio sem receio''



*Rica Passaro*
rpassaro@blogspot.com


foto: Doisneau

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

E?!



Em qual tempo real você tem escolhido viver?
Será possível em algum momento da vida, estarmos totalmente "presentes no presente"?
O Agora é o recheio do bolo.  é o meio depois do começo, é o meio antes do fim. Hoje é o único instante em que se pode fazer qualquer coisa e ser parte disso; e sentir bater lá no fundo o coração sedento e intenso de vontade de viver. Então, não é preciso dúvidas. Qualquer outro estado que não seja o presente, será uma doce ilusão.
Agora, escolhe...
é isso que você quer??? Ou não???