domingo, 27 de novembro de 2011

Quase...


Eu quase morri. Mas estou viva.
Tive muito medo, senti muito frio.
Eu quase morri. Mas ainda sorrio.
Tive saudades de tudo, e de todos.
Eu quase morri. Mas ainda danço e canto.
Tive que mentir dizendo que não doía, quando sentia muita dor.
Eu quase morri. Mas ainda falo e ouço.
Tive crises de choro por madrugadas no colo dos meus pais.
Eu quase morri. Mas ainda sinto o coração pulsar.
Tudo muda quando percebe-se que nada nunca estará em suas mãos.
Tudo deixa de ser drama, exagero, e se torna uma cruel realidade nas mãos da fé!


Eu quase morri...
morri...

Ainda bem que foi "quase".
Viva!

Um comentário:

Luna Sanchez disse...

Que bom que esse quase não te venceu, que bom!

Um beijo.