terça-feira, 21 de junho de 2011

Troquei de estação





O que foi cultivado  até o momento, já deve estar crescendo.
As folhas caindo e os frutos maduros.
Transição, troca. Meu corpo acompanha as estações,
anseia os verões e quietinho deixa tudo seguir seu curso natural.
por dentro o frio não congela; por dentro arde, queima.
Sou feita disso: ciclos.
Adeus,  querido Outono!
Que esse longo inverno traga boas novas, 
mesmo sendo silencioso e sem cor.
Porque eu também sou um pouco assim...





terça-feira, 7 de junho de 2011

Nada





Tá tudo bem; me sinto bem.
então, deito e levanto.
Choro e canto.

Tá tudo indo bem, eu me sinto mais ou menos bem.
então saio e entro.
olho de fora, me vejo por dentro.

O mundo anda lento alguns dias,
dá voltas gigantes em meses.
Eu espero, espero e espero...

No fundo preciso descobrir o que
eu realmente quero!
No fundo me esforço para sobreviver,
e sem querer me desespero.

Esquece! Esqueço!

Na verdade, não tem nada haver comigo isso tudo.
Tem haver com o que eu sempre estou aguardando do mundo.
Não tem nada haver comigo.
Não tem nada.
Nada!