quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

de mim....



Aqui dentro, no bate-bate do meu coração; hoje tem uma menina muito mais mulher; uma mulher que teve de deixar de ser menina por um tempo, para nascer de novo; para ter a “quase certeza” de uma possibilidade infinita de se manter menina pra sempre, por dentro.

Que confuso não? Porque então ter de abandonar a menina, para poder salvá-la?

você sai do corpo que te pertence, assiste de fora tudo que ta acontecendo, como se estivesse num coma lúcido durante uma cirurgia. Sendo assim, acaba por se ausentar de todos os “mundos” a sua volta.... tudo que precisa de sua dedicação ou de sua carga emocional, você abandona.... Ao se forçar a fazer isso, despedir-se de você, e dos outros, você entra numa gravidez profunda...

O Medo que bloqueia a mente, e acaba entrando em guerra com o coração. É simples assim de escrever e ler, e dificílimo de detectar em si, e por em pratica um plano para reverter o mal que tudo isso causa.  O medo toma conta tudo, e quando você percebe, esta vivendo uma vidinha medíocre, deixando as melhores coisas e pessoas de lado, por simples medo; medo de ser você mesmo, medo de não agradar, medo de gostar demais, ou de menos, medo de falar e de ouvir, medo de tentar, medo de tudo.

É um pânico generalizado que faz com que entre em parafuso e compreenda que todos esses seus fantasmas, juntamente com sua falta de fé, transformam você numa vitima de si mesmo. Então, é quando alguns enlouquecem de vez, outros pedem ajuda e se curam, e outros se perdem e aceitam suas vidas assim... sem sentido, sem essência.

Para mim, engravidar foi a melhor saída. To aqui gerando e vou esperar tranquilamente, meu ser renascer. E cada dia, a cada nova situação, sinto a barriga crescendo, que sinal de que estou evoluindo, e buscando conhecer a mim mesma da melhor maneira, de modo que todos a minha volta acabam são atingidos com isso, e sentem no ar esse clima, me deixando muito feliz de contagiar os poucos e bons.

Nove meses talvez não seja necessário... como é uma gestação especial, eu prefiro não pensar no quesito tempo, e sim no quesito evolução e qualidade. Talvez não seja uma gravidez só com momentos bons e tranqüilos, porque afinal de contas, toda gravidez implica riscos....

Mas, de fato, se despedir para poder voltar inteira depois é a melhor coisa que eu fiz na minha longa vida de 27 anos.... é o melhor que eu posso fazer pela menina que cabe aqui dentro e pela mulher que sou, para ambas seguirem em frente, sempre com força e fé; e enquanto meu lado bom for maior do que o ruim, eu jamais irei me abandonar por completo.

Um detalhe importante, é que Antes de engravidar, me senti como uma arvore de 100 anos! cortei todos os galhos velhos, sem folhas, podres, e estava por dentro, cheia de cupim. Então resolvi me cortar na raiz, para então, renascer inteira.

Enfim, sendo arvore, ou um feto dentro de mim mesma, eu sou só um ser humano que quis pensar demais e arrancar da minha passagem pela terra, tudo que a vida pode me dar, inclusive o melhor de mim mesma. E a única frase que tenho a dizer nesse exato instante é: Obrigado Deus!


É sim, essa fé, que faz otimista até demais.....