terça-feira, 17 de agosto de 2010

Aqui dentro



Há muito tempo não vivia algo nem de longe parecido com essa relação atual. Há anos não sentia sequer um frio na barriga como sente hoje em dia, ou a paz de ter alguém por perto; dias, semanas e meses. 24h...dividindo, multiplicando, acrescentando, ensinando e aprendendo com ela. E, alguém que estava tão certo do que queria que nem sequer gaguejava quando precisava expor o que sente; alguém que transparece exatamente o que é, e o que deseja pra si e para o próximo; alguém real e palpável, alguém que não era apenas alguém, era o incomum, o diferente, a versão masculina dela...

E agora estava ali, a menina, entregue á todos os tipos de sentimentos que podiam caminhar do "gostar á amar" sentimentos e sensações que transitavam confortavelmente por todas as etapas necessárias que os casais sempre passam, e ainda com a oportunidade de conhecer algumas coisas á mais, e diferentes de tudo que achou que já conhecia ou teria ouvido falar...

Descobria-se um tipo de relação estranhamente gostosa. estranha por eles serem estranhos, e gostosa por serem gostosos de conviver, de lidar, de sentir um ao outro. Tinham a certeza do que queriam e lutavam por isso! Quando pareciam brigar, era na verdade uma conversa seria, onde tentavam se entender, e não se calavam até se acertarem em gênio e personalidade. Viravam a página no dia seguinte porque decidiram juntos que não carregariam os problemas, e sim resolveriam de imediato; porque se queriam bem, queriam estar de bem.

Se aceitavam como eram, se respeitavam! cuidavam do tempo como quem cuida de uma criança, pois ele regia a frequencia e tudo relacionado á eles, era o tempo, o único que podia dizer realmente quem e como eram os dois, juntos. No tempo estavam as decisões, as esperas e compreensões....

Diferente de ontem, a menina quer ir mais além, quer aquele menino como quem quer um sonho vivido em realidade. quer aquele amor como quem quer a maça mais linda no topo da árvore. Quer, e quer com verdade; quer e entende o porque, quer e espera, quer e compreende, quer e pede todos os dias para que tudo isso, independente do quanto dure, seja doce e alegre, seja verdadeiro até o fim... se é que ele precisa existir(o fim...)

O amor é para quem te coragem, perdendo ou ganhando...
que nunca seja de mão beijada! NUNCA!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010



(...) Entretanto, não se deve acreditar que todas as dificulades se atenuem nas mulheres de temperamento ardente. Ao contrário, podem exasperar-se. A pertubação feminina pode atingir uma intensidade que o homem não conhece. (...)

*Simone de Beauvoir*