sábado, 17 de abril de 2010

De onde eu vim mesmo?

Em menos de um mês, um amigo me disse duas coisas que, logo de cara me abalaram profundamente, e, em seguida fez um sentido absurdo ! A primeira foi: " se vc não sai da toca, não vai encontrar c/ nosso amigo que está no Brasil, e mora na austrália á dois anos", referindo-se a uma situação em que eu pedi para me avisarem quando fossem sair com esse amigo, para eu ir junto, e quando me chamaram, eu não fui. Segunda coisa foi que, eu disse que estava com saudades dele e da namorada dele, e ele responde " vc vive em outro mundo, desse jeito fica difícil matar saudade".

Estar entocada e viver num mundo á parte é completamente novo pra mim e um tanto quanto assustador encarar isso. Posso citar "n" motivos os quais me afastaram da civilização; mas, se eu dissertasse sobre isso, estaria justificando, o que daria a entender que estava agindo errado, e eu não estava! Demorei para assumir á mim mesma que isso nada teve haver com os motivos ocasionados por terceiros, que, no final das contas, foram apenas "pontos" de partida. Eu passei ano passado, por situações muito desagradáveis em relação á "amizades". Eu errei, acertei, eu aprendi e desaprendi daquilo que eu julgava compreender.

Todos os conceitos que achei um dia já saber sobre convivência humana foram por água á baixo. Me decepcionei, falei verdades na cara, escolhi um lado numa "guerra", omiti coisas, menti para me defender, briguei pelo meu ponto de vista, e blá blá blá... Vivi uma novela; a qual me levou á uma reflexão profunda, deixando depois de superada a situação, marcas boas no meu caráter.

Depois desses acontecimentos, veio um crescimento ás pressas; senti necessidade e criei um universo onde eu pudesse viver, conviver e aceitar as pessoas, situações de uma maneira menos dolorida e mais confortável possível... Automaticamente senti paz interior, e comecei a me expor menos; a julgar menos os outros, e ser julgada em menor quantidade.

Com isso, veio o aprendizado sobre o silêncio, em inúmeras ocasiões as quais fui exposta, por decisão minha, não dei opinião, e apenas observei e percebi (dicas de um cara que eu admiro mto, e dividiu comigo esses momentos de transição). Num instante, percebi que a maneira de me comportar diante do mundo e suas ocasiões, afetava somente a mim, quando algo não saia tão bem como o esperado. E foi o ápice da minha confusão mental.

Somos seres obcecados pelo controle de nossas vidas; e como não temos, se conseguimos controlar nosso "eu" e algumas situações a nossa volta, já é de grande valia. Engraçado, que em nenhum momento eu senti que estava deixando de viver, ou abrindo mão de alguma coisa; simplesmente fluiu perfeitamente.

Eu realmente ando bem fechada, admito! Oras contida e muitas vezes sozinha também, mas nunca na solidão completa. talvez por saber que a opção é minha, então o poder de reverter isso está em mim, portanto EU ESTOU NO CONTROLE, ao menos por agora. Acompanhado á isso tudo, atualmente tenho a ausência, mesmo que parcial, do sofrimento, da mágoa, frustração, da falsa expectativa posta no ficante por exemplo, ou no amigo de infância e nas amigas mais recentes. Não sei até quando vou permanecer assim " me protegendo" dos outros e do mundo, mas, sei que é temporário, e que logo eu vou rasgar essa roupa de mocinha, e por baixo sairá a fantasia de mulher maravilha(pressentimento sabe? rs).

Mas já adianto, eu não abro mão do que aprendi com esse período introspectivo e pretendo continuar a limitar sim, os espaços para os outros, diminuindo as chances de ser invadida e aumentando as de ser mais respeitada. Eu quero poder conviver em todos os mundos normalmente, sem sentir que preciso baixar a guarda para viver intensamente e verdadeiramente (tarefa dificíl, porém não impossível). Agora só dependo de mim mesma pra me sentir assim. Logo mais eu cai nesse mundão, faço novas amizades, colegas, vivo novas histórias e experiências, me machuco e me refaço. Enquanto alguns não entendem nada, outros se perguntam, por curiosidade ou por interesse....vai saber né?

È meus caros, quem conheceu, conheceu! quem não conheceu, não conhecerá mais.... Aquela velha Carolina já era. Eu sou a constante mutação, e sempre pro bem, pra melhor, porque exijo isso de mim, porque busco prosseguir, sempre! Mesmo que para "os outros" não seja essa a imagem passada; deixo que me julguem arrogante! tantas vezes eu vim aqui derramar minha falta de estima, meus medos, minha “ escuridão”.... Realmente não me importo mais com a opinião alheia (Ufa, que alívio dizer isso, e ser verdade, pelo menos por enquanto, rs).

Se somos bons em ressaltar a dor, os defeitos, as falhas, temos de ser bons e humildes para exaltar nossas melhorias internas e externas. hoje sou EU quem merece de mim, o meu melhor. Eu vivo somente da minha verdade e respeito a verdade de cada um, mas elas(a verdade dos outros) não me alimentam mais.

Quem quiser, é só chegar...
Sejam bem-vindos ao meu MUNDO, sigam sempre pela estrada de tijolos amarelos!

5 comentários:

Cris Lima disse...

Fico Feliz com suas descobertas.aceitar a mudança de Rota do vôo é sem duvida um grande passo pra se reconhecer e proteger.só assim seremos LIVRES.teamo

Meri Pellens disse...

Adorei seu texto. Senti sinceridade e isso é tudo. Viver é um aprendizado constante e não importa onde estejamos desde que estejamos bem e felizes.
Bjos na alma. Namastê!

Desabafando disse...

Eu acho que todos nós temos momentos mais introspectivos e mais extrovertidos. Às vezes é bom respeitar esse tempo interno, desacelerar pra rever algumas coisas e depois seguir mais confiante.

Meri Pellens disse...

Bom dia, querida!

Olha, mudei o endereço do meu blog para: meripellens.blogspot.com Isso é constrangedor, mas estou mais tranquila sem a preocupação de ter que renovar domínio ano após ano.

Porém, com essa mudança, os seguidores perderam o link de atualizações!!! Pois o Blogger só redireciona se mudar para domínio próprio. Por tanto, para voltar as atualizações no reader ou painel do Blogger tem que atualizar lá nos seguidores também.

Enfim, esta é uma das coisas que só eu sou capaz de fazer. Desculpe mesmo. Um dia me internam.

Boa semana e bjos na alma!

GabiBrasiliano disse...

Sinceridade é tudo Carol, e isso você tem de monte! adorei!