terça-feira, 27 de abril de 2010

Diagnosticando a mente e o coração


Quando uma sensação toma vc, e remexe por dentro seu estomago e coração significa que esta entrando em uma zona desconhecida e muitas vezes perigosa. quantas vezes eu desejei incansavelmente me sentir assim? Trêmula, tonta, com tanto frio na barriga que parecia estar oca por dentro.

De todas minhas experiências sentimentais, guardo muita coisa boa. às vzs leio por ai, comentários amargos de mulheres extremamente mergulhadas no sofrimento e na rejeição. Acho estranho eu não ser assim; talvez um dia eu descubra porque; pois, desilusões não me faltaram no decorrer desses 27 anos...

Mas, eu realmente não me identifico com essa coisa de exercer em si, a mulher mal amada e desacreditada; Vamos nos amar mais Mulheres!!! Vamos ter mais Fé no sentimento verdadeiro, em nós!!! Porque na minha concepção, se vc perdeu, perdeu. Nada do que vc faça trará de volta a pessoa. volta, se for pra ser seu, portanto fique apática, tenha paciência e espere.

O sentimento é uma coisa engraçada. Eu sou engraçada. Inúmeras vezes fugi de alguém com medo de me prender, e tantas outras quis me encontrar no outro, Que loucura isso ! ainda bem que parei de querer escolher uma postura, e deixei que as coisas caminhassem sem rumo, sem determinação, bem Zeca Pagodinho "deixa a vida me levar".

E hoje? Hoje eu quero curtir, quero conhecer, trocar coisas boas, poder selecionar, esperar.... mas, não sei se quero me apaixonar não. quero gostar, querer bem, mas quero estar ciente, não quero perder o sentidos, não agora. è uma farsa dos conformistas aquela frase clichê:" ai, a gente não escolhe se apaixonar" escolhe sim!!!! Chega de bancar a mulherzinha indefesa e sonsa né.

Toda forma de sentimento é válida. Não precisa sangrar até morrer só pra dizer que é amor.

Falaram que eu não vou conseguir aplicar esses mandamentos no meu coração; e eu ri, óbvio. Não por que eu "me acho", e sim porque acredito em mim! Das dores da vida, o maior ensinamento que eu posso ter tido é: Nunca repita um sofrimento, sofra, mas por causas e coisas diferentes, e mesmo assim, saiba que tudo só dependeu de você, e toda melhoria que você puder ter será extremamente gratificante a si mesma. Soa egoísta né? Mas é assim que tem que ser mesmo, uma dose de racionalidade todas as vezes que se sentir coagida pelo sexo oposto e todas aquelas sensaçõeszinhas filhas da puta nos tiram do rumo(rs), é como um soro, e ai sim, fará efeito.

Eu volto daqui um tempo para contar quando a minha próxima experiencia acontecer, vou formatar a situação, e provar que nós mulheres precisamos de foco e amor próprio, e cada vez aproveitar mais "o gostar" e não o doer da paixão.



porque isso sim, é no mínimo ter um pingo de sanidade em meio ao caos dos corações.

sábado, 17 de abril de 2010

De onde eu vim mesmo?

Em menos de um mês, um amigo me disse duas coisas que, logo de cara me abalaram profundamente, e, em seguida fez um sentido absurdo ! A primeira foi: " se vc não sai da toca, não vai encontrar c/ nosso amigo que está no Brasil, e mora na austrália á dois anos", referindo-se a uma situação em que eu pedi para me avisarem quando fossem sair com esse amigo, para eu ir junto, e quando me chamaram, eu não fui. Segunda coisa foi que, eu disse que estava com saudades dele e da namorada dele, e ele responde " vc vive em outro mundo, desse jeito fica difícil matar saudade".

Estar entocada e viver num mundo á parte é completamente novo pra mim e um tanto quanto assustador encarar isso. Posso citar "n" motivos os quais me afastaram da civilização; mas, se eu dissertasse sobre isso, estaria justificando, o que daria a entender que estava agindo errado, e eu não estava! Demorei para assumir á mim mesma que isso nada teve haver com os motivos ocasionados por terceiros, que, no final das contas, foram apenas "pontos" de partida. Eu passei ano passado, por situações muito desagradáveis em relação á "amizades". Eu errei, acertei, eu aprendi e desaprendi daquilo que eu julgava compreender.

Todos os conceitos que achei um dia já saber sobre convivência humana foram por água á baixo. Me decepcionei, falei verdades na cara, escolhi um lado numa "guerra", omiti coisas, menti para me defender, briguei pelo meu ponto de vista, e blá blá blá... Vivi uma novela; a qual me levou á uma reflexão profunda, deixando depois de superada a situação, marcas boas no meu caráter.

Depois desses acontecimentos, veio um crescimento ás pressas; senti necessidade e criei um universo onde eu pudesse viver, conviver e aceitar as pessoas, situações de uma maneira menos dolorida e mais confortável possível... Automaticamente senti paz interior, e comecei a me expor menos; a julgar menos os outros, e ser julgada em menor quantidade.

Com isso, veio o aprendizado sobre o silêncio, em inúmeras ocasiões as quais fui exposta, por decisão minha, não dei opinião, e apenas observei e percebi (dicas de um cara que eu admiro mto, e dividiu comigo esses momentos de transição). Num instante, percebi que a maneira de me comportar diante do mundo e suas ocasiões, afetava somente a mim, quando algo não saia tão bem como o esperado. E foi o ápice da minha confusão mental.

Somos seres obcecados pelo controle de nossas vidas; e como não temos, se conseguimos controlar nosso "eu" e algumas situações a nossa volta, já é de grande valia. Engraçado, que em nenhum momento eu senti que estava deixando de viver, ou abrindo mão de alguma coisa; simplesmente fluiu perfeitamente.

Eu realmente ando bem fechada, admito! Oras contida e muitas vezes sozinha também, mas nunca na solidão completa. talvez por saber que a opção é minha, então o poder de reverter isso está em mim, portanto EU ESTOU NO CONTROLE, ao menos por agora. Acompanhado á isso tudo, atualmente tenho a ausência, mesmo que parcial, do sofrimento, da mágoa, frustração, da falsa expectativa posta no ficante por exemplo, ou no amigo de infância e nas amigas mais recentes. Não sei até quando vou permanecer assim " me protegendo" dos outros e do mundo, mas, sei que é temporário, e que logo eu vou rasgar essa roupa de mocinha, e por baixo sairá a fantasia de mulher maravilha(pressentimento sabe? rs).

Mas já adianto, eu não abro mão do que aprendi com esse período introspectivo e pretendo continuar a limitar sim, os espaços para os outros, diminuindo as chances de ser invadida e aumentando as de ser mais respeitada. Eu quero poder conviver em todos os mundos normalmente, sem sentir que preciso baixar a guarda para viver intensamente e verdadeiramente (tarefa dificíl, porém não impossível). Agora só dependo de mim mesma pra me sentir assim. Logo mais eu cai nesse mundão, faço novas amizades, colegas, vivo novas histórias e experiências, me machuco e me refaço. Enquanto alguns não entendem nada, outros se perguntam, por curiosidade ou por interesse....vai saber né?

È meus caros, quem conheceu, conheceu! quem não conheceu, não conhecerá mais.... Aquela velha Carolina já era. Eu sou a constante mutação, e sempre pro bem, pra melhor, porque exijo isso de mim, porque busco prosseguir, sempre! Mesmo que para "os outros" não seja essa a imagem passada; deixo que me julguem arrogante! tantas vezes eu vim aqui derramar minha falta de estima, meus medos, minha “ escuridão”.... Realmente não me importo mais com a opinião alheia (Ufa, que alívio dizer isso, e ser verdade, pelo menos por enquanto, rs).

Se somos bons em ressaltar a dor, os defeitos, as falhas, temos de ser bons e humildes para exaltar nossas melhorias internas e externas. hoje sou EU quem merece de mim, o meu melhor. Eu vivo somente da minha verdade e respeito a verdade de cada um, mas elas(a verdade dos outros) não me alimentam mais.

Quem quiser, é só chegar...
Sejam bem-vindos ao meu MUNDO, sigam sempre pela estrada de tijolos amarelos!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Das "relações" silenciosas...


A nossa, para mim, é a única colecionada a cerca de cinco anos. Uma relação daquelas que se constrói com solidez e paciência, que aparentemente não significa nada, mas, não parou no tempo sequer por 5 minutos, e está na caixa : melhores memórias . Assim somos eu e vc. E o que dizer daquele momento em que nos cruzamos sem querer?  As trocas e os encaixes perfeitos de dois estranhos que jamais pensaram em se cruzar, trouxe cumplicidade além de tesão e desejo; trouxe o dormir e acordar depois da noite em claro, que fatalmente mexe comigo e com vc.

E o que fazer se ficamos meses sem nos ver, porém, nunca sem nos falar. Quase sempre conseguimos um grande encontro que mexe no físico e no psicológico(mais no meu do que no seu; eu sou a garotinha que mergulha de cabeça, e vc o homem que separa mto bem as coisas eaté hj isso tem dado certo né?rs) Me lembro sempre, de quando vc disse uma vez: "Por certos caminhos poucos transitam, e, é essa a certeza de que sempre iremos nos encontrar".


O que leva alguém a manter outra pessoa em sua vida, por tanto tempo, nem sempre é grau de relacionamento, ou o rótulo, a cobrança ou o peso. O que garante a veracidade dos fatos, diante de ambos terem vidas opostas e paralelas, é a intensidade da verdade sentida; é aquela coisa de "Outras vidas", é o encontro estranho que é mais do que familiar, é o TUDO e o NADA! Quem um dia irá dizer que é impossível manter alguém em sua vida e só ter bons momentos, estará completamente errado. Não faço idéia de "até quando" isso vai se estender...talvez até o dia em que eu encontre um real amor, daqueles palpáveis e não como nosso conto de fadas...e  quer saber? ainda não me sinto obrigada a escolher ou resolver nada em relação a história nenhuma.... Sou livre de corpo, alma e coração!

E, sendo livre, meus braços sempre vão te esperar e nossos abraços sempre nos cercaram do calor que estamos necessitando naquele instante. Deus criou uma única forma de linguagem, o sentimento. E, por isso, eu entendo perfeitamente o que se passa aqui dentro, e ai dentro. O desejo vem do inconsciente, atrai corpos e mentes, e isso é muito gostoso. O tempo passa, e você ainda deseja alguém, e mesmo sem vê-lo com frequência, tem em si a certeza de que bastará seus lábios se tocarem, os olhares se encararem, e Plim plim; lá vem aquela enxurrada de sensações, emoções e sentimentos que um dia foi a grande causa da paixão arrebatadora; que como vc mesmo sussurou naquela noite: "e quem disse que isso não é uma espécie de amor?"

Lá vamos nós para mais um de nossos verdadeiros confrontos com data, hora e lugar marcado. Antes não queríamos ser previsíveis, hoje, somos pré-agendados, que é pra não deixarmos de manter nosso ritual dentro da sua vida instável, corrida e sem rotina e da minha pacata e tranquila realidade.

Olhá lá nosso saldo de lembranças acumulando mais algumas... Lá vem você me mostrar que a vida, é pra quem tem coragem. Com vc, eu sou mais eu!

Agora Somos só nós dois...

E pra quê querermos mais que isso?