quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

de mim....



Aqui dentro, no bate-bate do meu coração; hoje tem uma menina muito mais mulher; uma mulher que teve de deixar de ser menina por um tempo, para nascer de novo; para ter a “quase certeza” de uma possibilidade infinita de se manter menina pra sempre, por dentro.

Que confuso não? Porque então ter de abandonar a menina, para poder salvá-la?

você sai do corpo que te pertence, assiste de fora tudo que ta acontecendo, como se estivesse num coma lúcido durante uma cirurgia. Sendo assim, acaba por se ausentar de todos os “mundos” a sua volta.... tudo que precisa de sua dedicação ou de sua carga emocional, você abandona.... Ao se forçar a fazer isso, despedir-se de você, e dos outros, você entra numa gravidez profunda...

O Medo que bloqueia a mente, e acaba entrando em guerra com o coração. É simples assim de escrever e ler, e dificílimo de detectar em si, e por em pratica um plano para reverter o mal que tudo isso causa.  O medo toma conta tudo, e quando você percebe, esta vivendo uma vidinha medíocre, deixando as melhores coisas e pessoas de lado, por simples medo; medo de ser você mesmo, medo de não agradar, medo de gostar demais, ou de menos, medo de falar e de ouvir, medo de tentar, medo de tudo.

É um pânico generalizado que faz com que entre em parafuso e compreenda que todos esses seus fantasmas, juntamente com sua falta de fé, transformam você numa vitima de si mesmo. Então, é quando alguns enlouquecem de vez, outros pedem ajuda e se curam, e outros se perdem e aceitam suas vidas assim... sem sentido, sem essência.

Para mim, engravidar foi a melhor saída. To aqui gerando e vou esperar tranquilamente, meu ser renascer. E cada dia, a cada nova situação, sinto a barriga crescendo, que sinal de que estou evoluindo, e buscando conhecer a mim mesma da melhor maneira, de modo que todos a minha volta acabam são atingidos com isso, e sentem no ar esse clima, me deixando muito feliz de contagiar os poucos e bons.

Nove meses talvez não seja necessário... como é uma gestação especial, eu prefiro não pensar no quesito tempo, e sim no quesito evolução e qualidade. Talvez não seja uma gravidez só com momentos bons e tranqüilos, porque afinal de contas, toda gravidez implica riscos....

Mas, de fato, se despedir para poder voltar inteira depois é a melhor coisa que eu fiz na minha longa vida de 27 anos.... é o melhor que eu posso fazer pela menina que cabe aqui dentro e pela mulher que sou, para ambas seguirem em frente, sempre com força e fé; e enquanto meu lado bom for maior do que o ruim, eu jamais irei me abandonar por completo.

Um detalhe importante, é que Antes de engravidar, me senti como uma arvore de 100 anos! cortei todos os galhos velhos, sem folhas, podres, e estava por dentro, cheia de cupim. Então resolvi me cortar na raiz, para então, renascer inteira.

Enfim, sendo arvore, ou um feto dentro de mim mesma, eu sou só um ser humano que quis pensar demais e arrancar da minha passagem pela terra, tudo que a vida pode me dar, inclusive o melhor de mim mesma. E a única frase que tenho a dizer nesse exato instante é: Obrigado Deus!


É sim, essa fé, que faz otimista até demais.....

terça-feira, 30 de novembro de 2010

é preciso se despedir; para quem sabe.... voltar!


Se fosse por mim
Eu ficava
Mas vê como tudo lá fora mudou
O tempo passou
Feito um louco
Quebrando as vidraças
E a gente ficou...
Aqui, sem ter nem pra onde ir,
Por medo ou preguiça
Aqui, ilhados por nós
Sequer rastreados por nenhum radar
Aqui parecia ser o melhor lugar...
Quem disse que a gente precisa
Perder um ao outro pra se encontrar
Se nada nos prende ao passado
Não é o futuro que vai separar
Enfim
Encosta teu barco em mim
Que o sol já se pôs
A sós
O mundo termina
Na fina fronteira dos nossos lençóis
Em nós
Espalham-se os laços
Desfazem-se os nós
Sonhamos paisagens, compramos passagem
E nunca voamos pra lá
Enfim
Passeia tua boca em mim
Até me calar
Aqui ainda parece o melhor lugar

(Letra Jorge Vercillo)

terça-feira, 23 de novembro de 2010

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Da tristeza e da melancolia, nasce a poesia...




E se a gente se perder o que é que tem?

Que mania essa minha, de achar que sozinha, posso salvar alguém.

se já não vive perto o bastante e aos poucos ficando mais distante, então já se acostumou!

se o costume ja não dói, significa que o que mói, os sentimentos somos nós!

relaxados, ignorantes... deixando de lado, nossos instantes; 

aqueles mesmos instantes que hoje movem as lembranças,

 e, quem sabe os desejos pequenos, de querer ser bem maior do que somos.

Desleixados, desatentos. Tantos querendo encontrar alguém, 

uma combinação tão perfeita e diferente.  e, nós desdenhando nós!

quem sabe o que somos ou seríamos?  uma paixão, um amor, um futuro presente...

E se a gente se perder o que é que tem? 

eu avisei.. eu bem que te avisei... 

não me resta nada a fazer; pois entre nós dois, o mais forte, parece só o meu querer! 

E como eu quero! é ilusão dizer que não espero á todo momento que aconteça pra vc 

o que hoje existe transbordante em mim. Mas, vamos deixar, deixa estar, 

que seja o que tiver que ser...

E SE.... ??????

deixa acontecer..... 

sexta-feira, 29 de outubro de 2010









tô tão "sei lá" hoje! sei lá se eu quero, sei lá se eu vou, sei lá se eu sinto, sei lá se dói, sei lá se passa, sei lá se eu sei; SEI LÁ..!!

sábado, 23 de outubro de 2010

Limites...

Hoje acordei, e depois de alguns dias muito difíceis, de turbulência, confusão, de instabilidade mental, espiritual e física, respirei fundo antes de levantar da cama, e resolvi ligar a Tv. Estava num canal de clipes, e a música que se iniciava era de uma banda que eu não conhecia, chamada "30 seconds to mars". Eis a tradução de "Close to the Edge", que mais me pareceu, um soco na boca do estômago....
pra quem quiser conferir música,  tem uns depoimentos mto bacanas... segue o link - http://www.youtube.com/watch?v=-W9Ud0rIlU4

Mais Perto do Limite


Eu não me lembro do momento, eu tentei esquecer
Eu me perdi, é melhor não falar
Agora estou mais perto do limite
Foi um mil e um
E um milhão em dois para uma tonelada de ouro
As chamas levaram você
Mais perto do limite
Não, eu não estou dizendo que sinto muito
Um dia, talvez nós nos encontraremos novamente
Não, eu não estou dizendo que sinto muito
Um dia, talvez nós nos encontraremos novamente
NÃO NÃO NÃO NÃO


Você consegue imaginar um momento em que a verdade correu livre
O nascimento de todos nós e a morte de um sonho
Mais perto do limite
Esta história sem fim
Paga com orgulho e fé
Nós todos ficamos com pouca glória
PERDIDO NO SEU DESTINO
Eu nunca vou esquecer
NÃO NÃO
Eu nunca vou me arrepender
NÃO NÃO
EU VOU VIVER A MINHA VIDA
Mais perto do limite
Mais perto do limite
NÃO NÃO NÃO NÃO

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Eu...





me sinto bela, me sinto plena;
é a felicidade que me toma o corpo e a mente.
é o gozo de estar de bem comigo e com meu coração!
é vc que completa todas as pequeninas partes dos diversos "eus" que tenho em mim.
cor, pele, riso, toque, olhar, jeito, cheiro e gosto.
 
tudo num corpo só!!!!

e, eu te pergunto, cabe tanto em mim?

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Muda




Muda tanto que quase se esquece daquilo que foi um dia;
mesmo que não tenha sido, somente coisas boas.
muda tanto que, se perde no caminho e quase quer dar meia volta.
Muda porque quer, muda porque precisa.
Se sente feliz e infeliz por isso.
Já não sabe qual das verdades sobre si é a mais real ou irreal.
Mudou e vai mudar tanto ainda  no decorrer da vida que,
pode-se dizer que sufoca no peito uma angústia agarrada no medo;
é preciso mudar isso...
é preciso.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Locomotrom surpreende com apresentação na Batalha de Bandas do OinovoSom e prova que independente de estilos, música e talento não se discute.


Carolina Lima  -  Jornalista
Foto - Augusto Gomes

Contrariando o perfil das bandas escolhidas para tocar no Festival SWU, e completamente despretensiosa, a Locomotrom chegou no estúdio EMME para se apresentar na noite desta sexta-feira, 10, junto com mais 3 bandas que concorriam, cada uma com seu estilo próprio e torcida.


Pouco antes da banda Locomotrom subir no palco, a Banda cotada para vencer era "Single Parents"; uma tentativa de Strokes abrasileirado, porém sem experiência alguma de palco e entrosamento com o público. Com canções clichês cantadas em inglês, fizeram uma apresentação morna, porém boa.

A última banda da noite formada por cinco meninos do interior de São Paulo subiu ao palco mostrando a que vieram. Numa performance eletrizante desde o primeiro minuto até os últimos segundos do tempo programado, a banda cantou e tocou puro rock and roll! Sim, rock and roll!!!

Vivemos num país cheio de misturas e novos sons, e, é isso que traz a fórmula certa do que é pop e agradável aos ouvidos de todos. Competições são saudáveis, vaias e aplausos extremamente necessários. mas, confesso que me surpreendi com falta de “espírito esportivo” da apresentadora e jurada, que declarou no palco que sua banda preferida não era a vencedora, e também das outras torcidas que se comportaram de forma vergonhosa, se manifestando negativamente. Mas o time da Locomotrom se manteve firme e forte, afinal de contas, a noite era deles, e o maior Festival de Rock que já aconteceu no Brasil apelidado de Woodstock, a partir daquele momento fazia parte da história de cada um deles.

Comparações á parte, Locomotrom tem cinco músicos, cinco artistas e estão vindo com tudo, prontos para agarrar todas as oportunidades que lhe cruzarem o caminho. Não importa o perfil do festival, o que importa é quem tem culhão para representar em cima de um palco; uma geração, um estilo musical e acima de tudo, um seguimento de vida!

Viva o Rock and Roll!!!

Viva o Novo Som!!!!

terça-feira, 17 de agosto de 2010

Aqui dentro



Há muito tempo não vivia algo nem de longe parecido com essa relação atual. Há anos não sentia sequer um frio na barriga como sente hoje em dia, ou a paz de ter alguém por perto; dias, semanas e meses. 24h...dividindo, multiplicando, acrescentando, ensinando e aprendendo com ela. E, alguém que estava tão certo do que queria que nem sequer gaguejava quando precisava expor o que sente; alguém que transparece exatamente o que é, e o que deseja pra si e para o próximo; alguém real e palpável, alguém que não era apenas alguém, era o incomum, o diferente, a versão masculina dela...

E agora estava ali, a menina, entregue á todos os tipos de sentimentos que podiam caminhar do "gostar á amar" sentimentos e sensações que transitavam confortavelmente por todas as etapas necessárias que os casais sempre passam, e ainda com a oportunidade de conhecer algumas coisas á mais, e diferentes de tudo que achou que já conhecia ou teria ouvido falar...

Descobria-se um tipo de relação estranhamente gostosa. estranha por eles serem estranhos, e gostosa por serem gostosos de conviver, de lidar, de sentir um ao outro. Tinham a certeza do que queriam e lutavam por isso! Quando pareciam brigar, era na verdade uma conversa seria, onde tentavam se entender, e não se calavam até se acertarem em gênio e personalidade. Viravam a página no dia seguinte porque decidiram juntos que não carregariam os problemas, e sim resolveriam de imediato; porque se queriam bem, queriam estar de bem.

Se aceitavam como eram, se respeitavam! cuidavam do tempo como quem cuida de uma criança, pois ele regia a frequencia e tudo relacionado á eles, era o tempo, o único que podia dizer realmente quem e como eram os dois, juntos. No tempo estavam as decisões, as esperas e compreensões....

Diferente de ontem, a menina quer ir mais além, quer aquele menino como quem quer um sonho vivido em realidade. quer aquele amor como quem quer a maça mais linda no topo da árvore. Quer, e quer com verdade; quer e entende o porque, quer e espera, quer e compreende, quer e pede todos os dias para que tudo isso, independente do quanto dure, seja doce e alegre, seja verdadeiro até o fim... se é que ele precisa existir(o fim...)

O amor é para quem te coragem, perdendo ou ganhando...
que nunca seja de mão beijada! NUNCA!

segunda-feira, 16 de agosto de 2010



(...) Entretanto, não se deve acreditar que todas as dificulades se atenuem nas mulheres de temperamento ardente. Ao contrário, podem exasperar-se. A pertubação feminina pode atingir uma intensidade que o homem não conhece. (...)

*Simone de Beauvoir*

terça-feira, 20 de julho de 2010

sobre esforço e sonhos




Nem sempre depende apenas de nós seguir em frente com alguns planos e projetos. Já fui da lei do esforço total e a dedicação absoluta; pouquíssimas vezes valeram á pena. As coisas que menos nos exigem fortemente são as que mais merecemos. Não estou dizendo que corpo-mole e preguiça são as qualidades do século, só que esforço demais, para determinada atividade, e ou relação, não faz com que dê certo, e no final só acaba por desgastar seu corpo e mente.

Trabalho, profissão, sonhos, planos, tudo muda o tempo todo! A cada dia eu acordo pensando em algo novo para fazer, para me dedicar, e olho pra trás orgulhosa das minhas aquisições, e de tudo que já construí ao longo dos poucos anos de dedicação. hoje, eu tenho muito mais consciencia do que pode deixar de ser saudável para se tornar um peso, somente por eu estar em busca de um "sonho".
Se não tá fluindo mais, já era. Não adianta ficar dando murro em ponta de faca, vamos dar um F5 e passar para próxima página, porque, muitas das vezes não está somente em nossas mãos "fazer acontecer" determinadas coisas em relação á trabalho.

Essa semana tive que me desvencilhar daquilo que eu tinha como futuro ideal de profissão, entre os dois empregos que tinha. Abandonei o barco, pulei fora, chamem do que quiserem. Não foi uma decisão fácil , nem tão pouco feita de coração, mas... com o andar da carruagem, eu percebi que exercer a profissão ia muito mais além... que as relações inter-pessoais com quem você trabalha tem um peso gigante e determinante em tudo. Foi ai que eu descobri que por mais que eu me esforçasse, jamais conseguiria continuar onde achava que era o "ideal", porque não queriam que fosse o meu "Ideal".

enfim, o esforço que compensa para mim hoje em dia, é o de compreender quando os ciclos se encerram; mesmo que não sejam por vontade própria, fica muito mais fácil aceitar os altos e baixos da vida, os encontros e desencontros. Não foi dessa vez que eu vivi só de música e cai na estrada! mas, "entre aspas" só...(detalhes internos que não vem ao caso, por enquanto...rsrs). A verdade é que, o segredo está em não descartar os outros caminhos que lhe são apresentados, e não deixar passar nada despercebido, que no fim, acabam te levando ao mesmo lugar, á um belo lugar! As realizações podem vir de diversas formas, em diferentes partes da vida, é só abrir a mente e não desistir de continuar a nadar! como diz minha irmã, entre uma onda grande e outra, tente respirar, apenas respirar...!!!

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Nós e eles!



Porque com ele, meu dias são melhores. Depois que o conheci de uma outra forma, me encontrei nele, e
ficou tão mais fácil seguir os dias e as noites, tão mais leve me carregar, subir e descer. A diferença quando  encontramos alguém especial e, entende-se "especial" como: diferente, perspicaz, verdadeiro, com histórias para contar, cheio de caráter e alegria, força e fé em si, e na vida (portanto, Imagine o quão dificil é encontrar alguem assim nos dias de hoje...) Voltando; essa diferença é que "O outro" agrega tanto, que transforma você em um pouco "ele", e, em muito mais você!

 Coisas que passavam despercebidas vem á tona, seus defeitos e suas qualidade ficam muito mais fáceis de distinguir e até entender, a rotina chata ganha um aliado para o combate, os problemas menores do que aparentam ser, enfim... Você simplesmente descobre que não esta mais sozinho no mundo; e isso serve para amizades e relacionamentos. O "aos poucos" se transforma em algo tão gostoso, que além de contrariar os sintomas da paixão, acaba por se misturar com outro tipos de sentimentos(tô descobrindo ainda...), que dão um equilíbrio á toda intensidade que duas pessoas depositam quando decidem encarar essa "parada".
Eu me lembro quando a Fer(http://www.deliriosesuspiros.blogspot.com/), minha amiga á anos, que me ouviu lamentar desde paixões tórridas á grandes "supostos amores" capazes de fazer perder o rumo de casa e sentir a dor do pé na bunda até na alma; lembro dela me dizendo exatamente assim: "Carol, quando for para acontecer( uma paixão verdadeira, ou amor intenso) você não vai precisar se esforçar para nada, além de conquistá-lo do seu jeito. Tudo em você vai agradá-lo, você não sentirá angústia ou medo, nem precisará correr atrás ou provar para si mesma que será dessa vez que irá casar e ser feliz para sempre. Simplesmente tudo vai fluir, você nem perceberá e terá tempo e energia de sobra para apenas sentir e sentir." ( não foram exatamente essas palavras, mas foi essa a idéia).

Pensei na hora: "Deus, onde a Fer encontra tanta serenidade, será que um dia eu também vou ser assim? e então minha vida amorosa será bem mais fácil de ser entendida?" BATATA!  Junto de tudo isso contam todas dores vividas, todos os dias e meses solteira,  e acima de tudo o "Não" querer se envolver com qualquer pessoa. Precisa ter muita coragem de optar pela solidão completa á companhias momentâneas e descartáveis. E eu posso dizer de boca cheia: eu consegui!

E recomendo como quem recomenda um remédio que vai curar a pior das doenças. As relações estão desgastadas e rebaixadas á um nível tão triste e sujo que acaba por distorcer a realidade, desvalorizar ainda mais nós mulheres, e desacreditar os bons homens. Sim!!!!!! pelo amor de deus, tirem essa fantasia de feminista mal amada, existem sim bons homens, e o amor também; Existe porque eu quero que exista, porque muitas pensam como eu, porque tudo é feito de dois lados, portanto não está tudo perdido e acabado. Parece uma fuga clichê da mulherada de hoje em dia, atirar reações  e palavras contra o sexo masculino, quando não param para se analisar ou perceber coisas que nos dão todos indícios de que algo não esta bem. Somos fortes, somos dotadas de uma inteligência ímpar, porque demoramos tanto para acreditar nisso????

Portanto, independente do meu atual relacionamento, eu sempre fui muito sincera aqui, vivi cada segundo na realidade dura, e não estou em nenhum momento dizendo que vou casar amanhã, ter sete filhos e que meu companheiro é o cara mais perfeito do mundo. Quero tentar passar a mensagem de que, o foco é outro, e que eu desejo do fundo do coração que todas mulheres intensas, as minhas amigas, as amigas das amigas e que ainda acreditam no amor e por algum motivo estejam sofrendo ou passando por um ciclo ruim, atentem pra sua Fé, e seu amor próprio. O mundo te trata como você se trata.

O poder esta em nós! corra comprar a fantasia de mulher maravilha e vista com vontade! incorpore de uma vez por todas, sozinha ou acompanhada. NÒS SOMOS FODA!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

A minha condição


"Eu não sou diferente de ninguém
Quase todo mundo faz assim
Eu me viro bem melhor
Quando tá mais pra bom que pra ruim

Não quero causar impacto
Nem tão pouco sensação
O que digo é muito exato
É o que cabe na canção (aqui)

Qualquer um que ouve entende,
Não precisa explicação
E se for pensar um pouco
Vai me dar toda a razão

Oh senhora, senhorita
E também o cidadão
Todo mundo que se preza, nega fogo não!

Eu não sei viver sem ter carinho
É a minha condição
Eu não sei viver triste sozinho
É a minha condição

Eu não sei viver preso fugindo
É a minha condição..."

Por Lulu Santos

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Dos cansaços...

hoje eu preciso mesmo é falar de outras partes do meu "eu". ás vezes canso de mim. canso da minha voz, das minhas reclamações, das sensações, das escolhas quase sempre previsíveis, da minha rotina e da maneira como reago a ela...canso dos meus medos que são sempre os mesmos, dos meus anseios que só aumentam.

eu simplesmente canso! eu acordo com a sensação de que não dormi, e quando vou deitar já quero que amanheça. ando ansiosa demais, querendo, buscando demais, pensando...

Tenho fé, sim! Mas porque idependente da fé eu necessito sempre me entender? e ficar repetindo coisas incansáveis a mim mesma, como por exemplo:  contas atrasadas vão ser quitadas, é só uma crise no trabalho, vc ama o que faz; tenha paciência e seja madura para aceitar que precisa sair de casa e ter a sua, e blá blá blá...

Não me desligo quase nunca. apesar de me distrair com meu estado atual sentimental, que por muitas vezes nos últimos tempos me deixou em constante relaxamento; ainda assim, quando os pés voltam pro chão, volto pra estaca zero e continuo aqui, comigo me enxendo saco.

Será que sou louca? que essa canseira toda, de tudo relacionado á mim, é normal?
ou será que é só mais uma fase? daquelas de auto-conhecimento e logo menos vem a aceitação(como passo a passo de livro de auto-ajuda). então depois de aceitar o que sou e como estou, eu talvez consiga sentir menos peso em me carregar, me ouvir, em ser desse jeito ás vezes meigo demais, e em seguida grosseiro demais. uma inconstante filha única aquariana.

Ando muito cansada mesmo, e isso me entristece! Talvez seja porque eu nunca quis crescer.... e logo eu, que sempre estou rindo, levantando os outros, me sinto estranha e desanimada. Talvez, consiga daqui um tempo explicar melhor o "porque" de tudo isso. mas, por hoje, por hora...

só me resta tentar descansar de mim um pouco;
eu juro, vou tentar!

terça-feira, 8 de junho de 2010

porque os olhos não mentem....


Nem sei como começar a escrever sobre nós. Olha que coisa, hj existe "nós"! (consegui começar...)
Os últimos dias estão lentos e densos. A gente quer tanta coisa né? e como faz com todas essas vontades?

A nossa paciência tá enorme, a gente ta esperando e cada movimento é friamente calculado.
Nossas mentes, pensamentos, sensações, se cruzam á todo instante. Ninguém sabe, mas nós sabemos nossos segredos.  è quase um mundo á parte, é quase um sonho bom. Você me questiona se está doente por deixar tudo isso tomar conta de você. eu respondo: então, estamos!

e não é bom estar assim e só permanecer? é tanta verdade, tanta vontade e toda nossa liberdade á disposição da vida, de nossas histórias, afinidades... Coleciona comigo mais uma loucura? talvez uma paixão? ou qualquer coisa que seja gostosa e sincera, doce e avassaladora...

é muito querer subentendido, talvez apenas idéias. vai da pretensão de cada um, vai do corpo e coração. vai de nós. é um exercício físico e mental...

Mas, só por precaução eu ainda não vou te encarar.
só por enquanto...

sábado, 29 de maio de 2010

Pessoas como canções


Quando me arrisco na escrita e logo em seguida nos poucos acordes que sei, de um violão largado no canto do quarto... eu percebo quase sem querer que a música traz além de histórias, pessoas. Num esboço claro, nítido, transcrevo meus apegos interiores enquanto cantarolo uma melodia triste e desafinada. Sem saber  qual o real sentido da coisa, busco em tons baixos e simples, uma conotação quase que perfeita para descrever um alguém; um certo alguém.

Pessoas são como canções. Mas não podem ser quaisquer pessoas, e também qualquer canção. Reflita:  toda vez que a paixão chega rasgando o peito, você absorve essa dor (porque não há paixão sem dor, para depois vir o amor...) então, sendo assim, você sente ela (canção) entrando pelo seus poros e ouvidos; tomando conta de tudo, avassaladora e doce! è quase um mix, uma confusão! Tá vendo porque não pode ser qualquer coisa? Colecionar canções ao invez de pessoas, é transformar cada sentimento vivo em algo que pode ser eterno. Ao ouvir quantas vezes achar necessário, estará trazendo a si mesmo, aquilo que talvez nunca tenha saído do lugar.

Quando um "sol" fizer mais sentido do que um "mi" sustenido,ou vice-versa,  talvez seja aconselhável reiniciar todos aqueles exercícios em dvd, que chegou pelos correios, sobre "aprenda tocar em 10 dias". è o start para prestar atenção em algo que pode estar passando despercebido e não merece isso esse desapego.

Porque te acho uma canção? uma melodia simples, curte e gentil... Porque te sinto como uma letra pesada, arrastada quase sem fundamento e cheio de significado? Algumas pessoas são como partituras,a compreensão vai além de alguns sentidos.

Aqui, agora, quero te sentir mais e tentar te ouvir sempre, mesmo sabendo que o sempre, sempre acaba. Quero que seja assim, um som para os meus ouvidos, e mesmo alguns detalhes sendo indiscutíveis, é impossível pensar em desistir. Eu ainda não consegui te decorar, não sei ao certo te tocar, e me pergunto repetidas vezes, quando é que vou ouvir novamente, essa canção.

A música estava no ar o tempo todo, eu é que estava usando fones e fui desatenta. Vou apertar o play e colocar no repeat. Porque percebi sem querer que te gosto, canção!

terça-feira, 25 de maio de 2010

Pano de fundo...



Por trás da cortina, um mundo que nunca tem fim.


Uma vida cheia de vida;

Pessoas, lugares,situaçãos,

movimentos e climas.



O Tempo no seu tempo.

Abra a cortina quando a hora chegar.

Quando não mais sentir medo.

por trás da cortina é o agora!

por trás da cortina é dia!

por trás da cortina é sonho!

Tá tudo lá fora!


[CarolCarolina]

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Blérgh!


Uma vez por mês eu penso em desistir de tudo.
Uma vez por mês meu número de lágrimas dobra o de sorrisos.
Uma vez por mês eu acho que estou fazendo tudo errado, e que o caminho é outro.
Uma vez por mês me sinto feia, gorda, chata, boba e burra.
Uma vez por mês perco a paciência, como quem perde um sinal aberto...
Uma vez por mês desconto nas pessoas erradas uma raiva que nem sei de onde vem
Uma vez por mês o espelho é simplesmente meu pior inimigo, pois sempre reflete uma estranha.

Hormônios malditos que sempre me fazem achar que existe alguém aqui dentro, além de mim( que Louca né?rs). Se eu comer mais um doce, e derramar mais uma lágrima por conta de um filme triste na TV, eu juro, Juro que visto calças e troco de sexo. Homens e suas vantagens...!!!

Ainda bem que dia 23 é domingo, Santo ciclo de 28 em 28!

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Tão Cazuza...

"Não sei se estou dizendo tudo que penso(nesse disco gravado), só sei que eu não digo tudo que quero." Sábias palavras do meu poeta preferido. e eu me pergunto...

Porque ando tão ponderada? Porque não digo tudo que quero?e quando digo algo, porque não me satisfaço? Essa sensação de que, sempre eu poderia ter sido mais verdadeira, mais eu....não passa nunca? O que houve com toda aquela coragem de menina impulsiva? porque eu exito em dizer realmente o que se passa aqui dentro? Onde estão os ouvidos preparados para ouvir? sem julgar...

Seja lá onde vc estiver Carolina, volte logo para esse corpo!

Eu preciso, necessito descobrir e compreender, como é crescer nesse mundo, sem me perder de mim mesma.


foto: olhares.com/hugotinoco

domingo, 16 de maio de 2010

è...


                               


Aqueles olhos! Lá vem ele de novo com aquele olhar.... como alguém pode ter olhos assim? tão claros e transparentes, tão verdadeiramente avassaladores; ás vezes quero que mundo pare num instante; e então nos faça perceber que temos algo para viver, que não precisamos esconder... ás vezes quero acelerar os anos, antecipar sua escolha e a minha; para que cheguemos finalmente, ao final feliz. porque a gente se combina tanto, tanto...quanto... 

è só uma intuição, sabe? essa coisa de dizer que quer pra sempre soa psicopata porém sincero. quantas vezes nesse mundo estranho a gente se imagina com alguém amanhã, e depois de amanhã e depois e depois? eu pelo menos quase nunca faço isso.quase nunca mesmo!

Ai, é um "querer" viver aquilo que está por vir, agora!
PODE SER?


foto: Olhares.com - Autor(a) DDiArte

terça-feira, 4 de maio de 2010

Uma história á parte.

se é de liberdade que eles são feitos, então que continuem sendo sinceros os beijos e abraços.
A palavra saudade é de fato a mais dita e sentida quando o assunto é reencontro. De todas as histórias, ambos contam sempre o lado bom delas, porque foi o lado restou. Que alívio não?

Ele deita no colo dela, e ela o faz dormir. Ela pede que ele não a julgue, e que então, ela jamais o cobrará. Eles nunca brigaram, nem sequer discutiram uma única vez. Ele nunca a fez chorar!

Ela carrega em si, um coração batendo nos pulsos; tum tum tum! "Coloque sua mão aqui, e sinta", ela pede; ele a fita de relance, enquanto ela sorri com os olhos. já amanheceu, ela o deixa adormecido como de costume. Eles se beijam, e ele pede mais do seu tempo;
mas, já é hora dela partir...!
"sempre que estão juntos, é ele quem liberta o mal dela..."

FIM...

terça-feira, 27 de abril de 2010

Diagnosticando a mente e o coração


Quando uma sensação toma vc, e remexe por dentro seu estomago e coração significa que esta entrando em uma zona desconhecida e muitas vezes perigosa. quantas vezes eu desejei incansavelmente me sentir assim? Trêmula, tonta, com tanto frio na barriga que parecia estar oca por dentro.

De todas minhas experiências sentimentais, guardo muita coisa boa. às vzs leio por ai, comentários amargos de mulheres extremamente mergulhadas no sofrimento e na rejeição. Acho estranho eu não ser assim; talvez um dia eu descubra porque; pois, desilusões não me faltaram no decorrer desses 27 anos...

Mas, eu realmente não me identifico com essa coisa de exercer em si, a mulher mal amada e desacreditada; Vamos nos amar mais Mulheres!!! Vamos ter mais Fé no sentimento verdadeiro, em nós!!! Porque na minha concepção, se vc perdeu, perdeu. Nada do que vc faça trará de volta a pessoa. volta, se for pra ser seu, portanto fique apática, tenha paciência e espere.

O sentimento é uma coisa engraçada. Eu sou engraçada. Inúmeras vezes fugi de alguém com medo de me prender, e tantas outras quis me encontrar no outro, Que loucura isso ! ainda bem que parei de querer escolher uma postura, e deixei que as coisas caminhassem sem rumo, sem determinação, bem Zeca Pagodinho "deixa a vida me levar".

E hoje? Hoje eu quero curtir, quero conhecer, trocar coisas boas, poder selecionar, esperar.... mas, não sei se quero me apaixonar não. quero gostar, querer bem, mas quero estar ciente, não quero perder o sentidos, não agora. è uma farsa dos conformistas aquela frase clichê:" ai, a gente não escolhe se apaixonar" escolhe sim!!!! Chega de bancar a mulherzinha indefesa e sonsa né.

Toda forma de sentimento é válida. Não precisa sangrar até morrer só pra dizer que é amor.

Falaram que eu não vou conseguir aplicar esses mandamentos no meu coração; e eu ri, óbvio. Não por que eu "me acho", e sim porque acredito em mim! Das dores da vida, o maior ensinamento que eu posso ter tido é: Nunca repita um sofrimento, sofra, mas por causas e coisas diferentes, e mesmo assim, saiba que tudo só dependeu de você, e toda melhoria que você puder ter será extremamente gratificante a si mesma. Soa egoísta né? Mas é assim que tem que ser mesmo, uma dose de racionalidade todas as vezes que se sentir coagida pelo sexo oposto e todas aquelas sensaçõeszinhas filhas da puta nos tiram do rumo(rs), é como um soro, e ai sim, fará efeito.

Eu volto daqui um tempo para contar quando a minha próxima experiencia acontecer, vou formatar a situação, e provar que nós mulheres precisamos de foco e amor próprio, e cada vez aproveitar mais "o gostar" e não o doer da paixão.



porque isso sim, é no mínimo ter um pingo de sanidade em meio ao caos dos corações.

sábado, 17 de abril de 2010

De onde eu vim mesmo?

Em menos de um mês, um amigo me disse duas coisas que, logo de cara me abalaram profundamente, e, em seguida fez um sentido absurdo ! A primeira foi: " se vc não sai da toca, não vai encontrar c/ nosso amigo que está no Brasil, e mora na austrália á dois anos", referindo-se a uma situação em que eu pedi para me avisarem quando fossem sair com esse amigo, para eu ir junto, e quando me chamaram, eu não fui. Segunda coisa foi que, eu disse que estava com saudades dele e da namorada dele, e ele responde " vc vive em outro mundo, desse jeito fica difícil matar saudade".

Estar entocada e viver num mundo á parte é completamente novo pra mim e um tanto quanto assustador encarar isso. Posso citar "n" motivos os quais me afastaram da civilização; mas, se eu dissertasse sobre isso, estaria justificando, o que daria a entender que estava agindo errado, e eu não estava! Demorei para assumir á mim mesma que isso nada teve haver com os motivos ocasionados por terceiros, que, no final das contas, foram apenas "pontos" de partida. Eu passei ano passado, por situações muito desagradáveis em relação á "amizades". Eu errei, acertei, eu aprendi e desaprendi daquilo que eu julgava compreender.

Todos os conceitos que achei um dia já saber sobre convivência humana foram por água á baixo. Me decepcionei, falei verdades na cara, escolhi um lado numa "guerra", omiti coisas, menti para me defender, briguei pelo meu ponto de vista, e blá blá blá... Vivi uma novela; a qual me levou á uma reflexão profunda, deixando depois de superada a situação, marcas boas no meu caráter.

Depois desses acontecimentos, veio um crescimento ás pressas; senti necessidade e criei um universo onde eu pudesse viver, conviver e aceitar as pessoas, situações de uma maneira menos dolorida e mais confortável possível... Automaticamente senti paz interior, e comecei a me expor menos; a julgar menos os outros, e ser julgada em menor quantidade.

Com isso, veio o aprendizado sobre o silêncio, em inúmeras ocasiões as quais fui exposta, por decisão minha, não dei opinião, e apenas observei e percebi (dicas de um cara que eu admiro mto, e dividiu comigo esses momentos de transição). Num instante, percebi que a maneira de me comportar diante do mundo e suas ocasiões, afetava somente a mim, quando algo não saia tão bem como o esperado. E foi o ápice da minha confusão mental.

Somos seres obcecados pelo controle de nossas vidas; e como não temos, se conseguimos controlar nosso "eu" e algumas situações a nossa volta, já é de grande valia. Engraçado, que em nenhum momento eu senti que estava deixando de viver, ou abrindo mão de alguma coisa; simplesmente fluiu perfeitamente.

Eu realmente ando bem fechada, admito! Oras contida e muitas vezes sozinha também, mas nunca na solidão completa. talvez por saber que a opção é minha, então o poder de reverter isso está em mim, portanto EU ESTOU NO CONTROLE, ao menos por agora. Acompanhado á isso tudo, atualmente tenho a ausência, mesmo que parcial, do sofrimento, da mágoa, frustração, da falsa expectativa posta no ficante por exemplo, ou no amigo de infância e nas amigas mais recentes. Não sei até quando vou permanecer assim " me protegendo" dos outros e do mundo, mas, sei que é temporário, e que logo eu vou rasgar essa roupa de mocinha, e por baixo sairá a fantasia de mulher maravilha(pressentimento sabe? rs).

Mas já adianto, eu não abro mão do que aprendi com esse período introspectivo e pretendo continuar a limitar sim, os espaços para os outros, diminuindo as chances de ser invadida e aumentando as de ser mais respeitada. Eu quero poder conviver em todos os mundos normalmente, sem sentir que preciso baixar a guarda para viver intensamente e verdadeiramente (tarefa dificíl, porém não impossível). Agora só dependo de mim mesma pra me sentir assim. Logo mais eu cai nesse mundão, faço novas amizades, colegas, vivo novas histórias e experiências, me machuco e me refaço. Enquanto alguns não entendem nada, outros se perguntam, por curiosidade ou por interesse....vai saber né?

È meus caros, quem conheceu, conheceu! quem não conheceu, não conhecerá mais.... Aquela velha Carolina já era. Eu sou a constante mutação, e sempre pro bem, pra melhor, porque exijo isso de mim, porque busco prosseguir, sempre! Mesmo que para "os outros" não seja essa a imagem passada; deixo que me julguem arrogante! tantas vezes eu vim aqui derramar minha falta de estima, meus medos, minha “ escuridão”.... Realmente não me importo mais com a opinião alheia (Ufa, que alívio dizer isso, e ser verdade, pelo menos por enquanto, rs).

Se somos bons em ressaltar a dor, os defeitos, as falhas, temos de ser bons e humildes para exaltar nossas melhorias internas e externas. hoje sou EU quem merece de mim, o meu melhor. Eu vivo somente da minha verdade e respeito a verdade de cada um, mas elas(a verdade dos outros) não me alimentam mais.

Quem quiser, é só chegar...
Sejam bem-vindos ao meu MUNDO, sigam sempre pela estrada de tijolos amarelos!

terça-feira, 6 de abril de 2010

Das "relações" silenciosas...


A nossa, para mim, é a única colecionada a cerca de cinco anos. Uma relação daquelas que se constrói com solidez e paciência, que aparentemente não significa nada, mas, não parou no tempo sequer por 5 minutos, e está na caixa : melhores memórias . Assim somos eu e vc. E o que dizer daquele momento em que nos cruzamos sem querer?  As trocas e os encaixes perfeitos de dois estranhos que jamais pensaram em se cruzar, trouxe cumplicidade além de tesão e desejo; trouxe o dormir e acordar depois da noite em claro, que fatalmente mexe comigo e com vc.

E o que fazer se ficamos meses sem nos ver, porém, nunca sem nos falar. Quase sempre conseguimos um grande encontro que mexe no físico e no psicológico(mais no meu do que no seu; eu sou a garotinha que mergulha de cabeça, e vc o homem que separa mto bem as coisas eaté hj isso tem dado certo né?rs) Me lembro sempre, de quando vc disse uma vez: "Por certos caminhos poucos transitam, e, é essa a certeza de que sempre iremos nos encontrar".


O que leva alguém a manter outra pessoa em sua vida, por tanto tempo, nem sempre é grau de relacionamento, ou o rótulo, a cobrança ou o peso. O que garante a veracidade dos fatos, diante de ambos terem vidas opostas e paralelas, é a intensidade da verdade sentida; é aquela coisa de "Outras vidas", é o encontro estranho que é mais do que familiar, é o TUDO e o NADA! Quem um dia irá dizer que é impossível manter alguém em sua vida e só ter bons momentos, estará completamente errado. Não faço idéia de "até quando" isso vai se estender...talvez até o dia em que eu encontre um real amor, daqueles palpáveis e não como nosso conto de fadas...e  quer saber? ainda não me sinto obrigada a escolher ou resolver nada em relação a história nenhuma.... Sou livre de corpo, alma e coração!

E, sendo livre, meus braços sempre vão te esperar e nossos abraços sempre nos cercaram do calor que estamos necessitando naquele instante. Deus criou uma única forma de linguagem, o sentimento. E, por isso, eu entendo perfeitamente o que se passa aqui dentro, e ai dentro. O desejo vem do inconsciente, atrai corpos e mentes, e isso é muito gostoso. O tempo passa, e você ainda deseja alguém, e mesmo sem vê-lo com frequência, tem em si a certeza de que bastará seus lábios se tocarem, os olhares se encararem, e Plim plim; lá vem aquela enxurrada de sensações, emoções e sentimentos que um dia foi a grande causa da paixão arrebatadora; que como vc mesmo sussurou naquela noite: "e quem disse que isso não é uma espécie de amor?"

Lá vamos nós para mais um de nossos verdadeiros confrontos com data, hora e lugar marcado. Antes não queríamos ser previsíveis, hoje, somos pré-agendados, que é pra não deixarmos de manter nosso ritual dentro da sua vida instável, corrida e sem rotina e da minha pacata e tranquila realidade.

Olhá lá nosso saldo de lembranças acumulando mais algumas... Lá vem você me mostrar que a vida, é pra quem tem coragem. Com vc, eu sou mais eu!

Agora Somos só nós dois...

E pra quê querermos mais que isso?

sábado, 20 de março de 2010

Outra parte de mim, conta a minha história


Carolina nunca teve o que sua mãe sempre pedia desde pequena. Ela nem sabia ao certo que "ela(paciência)" existia. Passou, e vem passando a cada dia por transformações, e sensações, de completo exercício da mesma. Quando esteve no olho no furacão, sentiu que estava sendo testada, e que se algo pedia mudança em si mesma, deveria aceitar! e de fato, aceitou, pois, como não conhecia o que era ser diferente, precisava disso tudo para amadurecer.
Agora, Carolina estava questionando: e depois disso? o que é que vem!?

Ela repete diariamente milhões de vezes que Deus vai vencê-la pelo cansaço. Não que esteja de mal dele, mas espera de Deus o consolo, que a coloque pra frente. Carolina compreende que está mudada, e de fato está. Aprendeu com os inúmeros erros, e agora quer mesmo é que Essa imensa “travessia no deserto” passe.

A menina ás vzs se sente cansada, a mulher ás vzs se sente derrotada. È no amor, é na profissão, é no dia a dia. Carolina anda anestesiada; quando algumas coisas acontecem. ela fica só parada observando, em silêncio, em solidão... e aguardando, aguardando, aguardando... Quando é que vem aquele momento em que a garota poderá colocar em prática o que aprendeu nos últimos tempos?

Não sabemos Carolina, não sabemos.

E até mesmo todas aquelas coisas que pedem urgência, estão criando mofo na pasta de arquivos: paciência. às vezes ela quer desistir, outras horas ela diz querer escrever um livro de auto-ajuda, mas, pare e reflita: como pode ajudar alguém menina Carolina? Se és tão confusa...
Por hora, ela vai continuar esperando; reclamando do marasmo, clamando pela próxima fase, para vencer o chefão e pegar mais algumas doses de “vida” e quem sabe moedinhas da sorte!

Carolina é sedenta por vida, por respiração ofegante,
por idas e vindas, por roda gigante.
Carolina é cores fortes, palavras densas e doces,
amores e desamores. è a constante transformação!

Carolina, definitivamente; é Fé!

Mais um pouco só, daquilo que já tens menina;
só mais uma dose misturada á Esperança.
O melhor deve estar por vir.


sábado, 13 de março de 2010

Das Marcas em nós

Nos últimos dias, tenho observado quão demorado é para que as feridas interiores se curem. Ao contrário dos cortes externos á flor da pele, por dentro não sangra, não se vê nada, então pressupõe-se que deveriam doer menos e em menor tempo sararem. Errado! Sem remédios, sem paliativos, sem anestésicos ou analgésicos, sem antídotos, sem nada, seguimos a vida correndo todos os riscos prováveis de adquirir ao longo dos anos, muitas cicatrizes. Cicatrizes que a vida fez, que nós mesmos fizemos, que os outros deixaram.

Queira querer sempre que todas as feridas se fechem, porém não se acostume com elas. Não chore por elas, pela dor que elas causam, lágrimas não são pontos artificiais e elas não necessariamente precisam se tornar cicatrizes. A verdade é nua e crua!
Todo mundo carrega marcas. Ao olhar pra sua, lembrará claramente de como ela foi parar ali, seja dentro ou fora de si, e, então, orgulhe-se!

São marcas de batalhas superadas, de mágoas passadas, de histórias esquecidas...
São as provas oficiais de que ninguém melhor do que você pode dizer de boca cheia: Eu sobrevivi e continuo de pé, de queixo erguido e muito mais inteligente. Seja sua cura, seu remédio.

E compreenda de uma vez por todas: Cicatriz é cicatriz, ferida é ferida.
aceite suas cicatrizes, mas não se acostume com as feridas.

quarta-feira, 10 de março de 2010

Inspiração noturna de pensamentos obscuros...

"As suposições traduzem bem, eu, a intensidade nua e crua; e vc, o estrategista cauteloso e gentil"

"diga o que se passa em sua mente, e eu coleciono suas respostas. vamos brincar, e só vale a verdade, nda além disso."

ela diz: "tdo isso era pra te convencer" ele responde:" se fosse 2h atrás, diria que sim" - os relógios se desencontraram...



......e continua......

sexta-feira, 5 de março de 2010

"E, nesse mundo de estranheza total, poucos se reconhecem, e, então, poucos sobrevivem, vai de cada um. Ainda bem que não estou só. O ódio só envenena a quem sente. Não me preocupo mais, porque olho pra minha vida e pro espelho e a única coisa que consigo sentir é satisfação.
Ninguém será capaz de me desejar tanto mal e ser feliz. E eu confesso que sinto pena desse tipo de gente, o castigo é nítido, mas se fazer de cega é só mais um artifício da personagem falida de cada uma delas! que o teatro continue; é bom poder amar a sua realidade"

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Do que tem sabor de fruta mordida

Quero a velha "sorte de um amor tranquilo" que o Cazuza cantou um dia. Que é pra poder acreditar que todos os romances não foram tempo perdido. Porque o corpo cansa de ficar em ebulição, transbordando paixões tórridas e no fundo, bem no fundo vazias. E é esse vazio que me enche, que me faz explodir, que me faz tomar atitudes impensadas se não fosse esse turbilhão de sensações que "um certo alguém" me causa.

Que confuso não? Se algumas das paixões são vazias, e deixam um vazio profundo, como “alguém” ainda consegue me provocar? A diferença ta ai. As que deixam o vazio, o vácuo, a história que era pra ser vivida, e, que foi esquecida por alguém no meio do caminho, essas transformam nosso coração em um verdadeiro caldeirão...
Será que isso é insensatez?

Talvez seja, talvez....é loucura querer viver o que Cazuza proclamou, em tempos tão modernos?
É loucura querer a porta do carro aberta, flores no dia seguinte, mensagem de bom dia?
Nesses tempos modernos deve ser mesmo. Tudo se tornou efêmero demais. Só posso afirmar que algumas coisas vividas mudam a gente pra sempre.E eu não consigo acompanhar a velocidade disso tudo.

Meu presente tem um cheiro enorme de passado. Mas, o passado não pode se arrastar né? Então, se ao invés de querermos mudar os “tempos”, quisermos então, sermos loucas? Temos lugar nesse mundo estranho, frio e superficial? De romances com datas de validade, e de proteções como escudos feito em fábricas de artesanato? E se mesmo sendo louca, eu quiser ser tranqüila? Te assusta? O amor é tranqüilo.

O amor se permite ser descoberto, ser conquistado. Quando é tranqüilo, é amor.
Amor pede calma, facilitação, é como um plano perfeito, pronto pra acontecer, sem luta ou guerra pra ser feliz. Quero possibilidades diferentes, ser insana e ao mesmo tempo saber que o amor vai chegar, sem maiores aflições. Não quero as fórmulas tradicionais, e muito menos as declarações carentes de quem vive em pleno carnaval.

Quero que caiam as máscaras e que sem maiores esforços percamos o medo de perder e sejamos capazes de nos perder para amar. No passado, desespero se alternava com cortes profundos de navalha na carne, queria me sentir viva e plena numa situação qualquer... Até que a maturidade chegou, trazendo bens que só os anos bem vividos são capazes de nos ofertar.

E, então, talvez hoje, eu já possa avistar as palavras de cazuza se integrando aos meus dias; mesmo que por enquanto só na imaginação. Imaginação que anseia por cenas de realidade, que acredita num futuro bom onde estar com alguém para caminhar do lado, é leve e simples.
Então, no amor é tudo uma questão de Fé não é mesmo?
Santo Cazuza, eu quero a sorte de um amor tranqüilo!
Amém

Por Carô*Lina e Mari*Ana

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

das perguntas...




Traz frio pra minha barriga?
sorriso pro meu rosto?
vontade para o meu corpo?
tira e põe a minha roupa?

Me olha????
com esse olhar fulminante de puro desejo...
é só o hoje que importa?
acho que estando juntos, não seremos julgados.
Deve ser normal deixar acontecer;
E ninguém precisa se sentir culpado...

Eu ás vzs penso em te querer;
às vzs eu me permito querer você;e isso
chega a me dar raiva, não me pergunte "porque"

Diz que seu passado não te pertence mais?
que deixamos tudo para trás?
e que para os outros, agora, tanto faz.

Quero deixar asssim, do jeito que é
Cada coisa em seu lugar! devagar, passo-a-passo.
Vamos fazer tudo de novo? e de novo? e de novo?
deixa eu deixar meu cheiro no seu corpo?

lembre-se, vc precisa se desligar do mundo,
mas, não precisa estar só. Não sinta peso em minhas palavras,
são apenas desejos, são apenas perguntas...

Podemos querer tudo como se fosse a primeira vez???
coisas para alguém como você, alguém como eu....

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Meu conselho é : Tenha Fé!


Ando péssima pra emitir opinião. Ando mais fria, eu ando calculista, um pouco perversa, eu ando muito sã, e definitivamente eu não ando boa pra dar conselhos. Minha paciência está muito mais trabalhada, e a minha ausência de problemas relacionados ao coração, já dura um tempinho. Eu já nem lembro mais "o porque" que chorei, nem se eu realmente gostei daquele carinha, não faço questão de saber dele, me ausentei e nunca mais parei pra pensar em como seria se tudo tivesse dado certo entre nós. Eu só consigo olhar pra frente, sentir paz e leveza, e olhar para quem está HOJE na minha vida provocando as melhores sensações.

Atualmente eu não me julgo apta a palpitar nos relacionamentos alheios, e muito menos pronta para dizer o que eu acho que uma amiga deve fazer ou pensar sobre determinada situação. Como pode isso? eu sempre soube o que dizer, eu sempre gostei de dar conselhos, e eu simplesmente não conseguirei por pra fora nem um "arroto" do que eu supostamente acho sobre coisa alguma relacionada ao coração.

Temo não saber me expressar nesse momento. Temo estar radical demais, e lamento não poder ajudar. Parece que todas as teses foram quebradas, todos os valores distorcidos, e eu nem sequer consigo dizer: "amiga, lute por ele, lute pelo amor." Pq eu nem sei se é realmente nessa idéia que eu acredito nesse cenário, ou porque eu não sei se a minha amiga vai aguentar caso não dê certo, e acima de tudo, se eu vou suportar ver mais uma amiga chorando por amor, ou melhor, pela falta dele.

Eu ando tacando o foda-se caso o "caso" não vire nada, porque eu determinei que que seria assim; porque não quero aquela sensação de descontrole, e de repente me sentir dona de alguém que eu não sou, ou então aguardar aquela ligação forçada. por isso, FODA_SE, só vou relaxar quando o outro me der a certeza de que posso! que mané arriscar o quê! Então, FODA_SE! Antes ELE do que EU!

eu percebi que nosso coração atende a exercícios diários de "como ser duro consigo mesmo" é só praticar, acreditar e de repente você se torna "dona" das suas emoções, pelo menos por um tempo, ate cair de cabeça numa próxima relação que vai transformar seu mundo (parece piada, mas é real).

O fato é que eu não estou boa para aconselhar, ok!?
E, logo mais amiga, ele vai te ligar e tudo vai ficar bem! Mesmo porque, eu fui o cupido dessa relação, não posso ser tão incompetente assim!

Tudo, sempre, Vai passar..
sejam as coisas boas ou ruins, tudo vai passar.
Portanto, Fé!

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Saldo positivo


Estive sóbria, fiz tudo que devia e me alimentei bem. Não fiquei nervosa, ansiosa e nem me magoei com nada nem ninguém. Não me feri, não senti vontade de desistir, não me iludi.
Fugi dos olhares invejosos, críticos e muitas vezes tristes.

Mantive minha mente sã e meu corpo são.
Não tomei remédio para dormir e nem escutei aquelas canções que me lembram os momentos de felicidade extrema que não voltam mais. Desliguei o telefone, não respondi emails e ignorei a campainha. Assiste bons filmes, ouvi algumas músicas, li palavras picadas de boas histórias.

Consegui Alguns dias á menos de estranheza e até sofrimento, num mundo que não é meu. Enquanto os outros testam seus limites superficiais e vivem suas ilusões pessoais, eu sigo pela estrada de tijolos amarelos. Na minha verdade, ando em busca de algum lugar que seja tão bom quanto a minha casa, em busca de uma companhia que seja tão boa quanto a minha.

Pausa!
Paz....sinto paz!

Até quando eu quiser...

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

o que é, o que é

Na dificil tarefa de aceitar o que não posso mudar, e não acomodar com o que incomoda, eu sigo meu dia oscilando entre o mau humor extremo da minha TPM infantil, com a inquietude de alguém que acaba de fazer anos e descobre que faltam apenas 3 para entrar nos “30” e ainda assim dá tempo de curar as loucuras e encontrar os amores.

No auge da minha confusão emocional, as coisas fogem do controle, e eu acabo por entrar numa crise existencial de caráter irrevogável no presente momento. Sabe Deus, Orixás e Deuses o que será do amanhã, mas, responda quem puder???

Eu só sou mais uma. Eu sou só eu. O Mundo anda lento pra mim, as pessoas estranhas demais e as situações completamente incertas.

Uma vez li que a incerteza era algo bom. Me confundo ás vezes, e sinto receio.
Mas ainda confio na incerteza do amanhã, porque se bem me conheço não saberia jamais ser feliz com o verso “toda dia ela faz tudo sempre igual..”

Esse texto é sobre o que mesmo?

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Dia de treinamento

Consigo concentrar num dia só, emoções e sentimentos que vão da tristeza á alegria completa.
Penso numa situação, sinto um desespero, me estresso, quase choro, choro de verdade! e minutos depois já alcanço uma calma, e uma serenidade que eu não faço idéia de onde vem.

Nos últimos dias ando segurando bastante o "choro". Pretendo ficar exatamente como a personagem de Cameron Diaz, em "o Amor não tira férias". pode até ser falso, pode aparecer que quero "maquiar" a situação, mas de fato eu ando segurando minhas emoções até onde eu aguento; e tem seu lado bom. Hoje tive um longo desabafo com duas amigas. uma via email e outra pessoalmente. Ambas entenderam meu lado, me abriram os olhos e no final eu consegui o que queria: Tranquilidade. As amigas que a gente escolhe para nos ver como somos, podemos contar nos dedos. è muito difícil se abrir com alguém e deixar transparecer tudo, é como se diante de toda situação ruim e chata que te acontece, você estivesse de coração aberto para quem realmente merece e te oferece um suporte incondicional.

Ser minha amiga não é fácil. Eu vou do 8 ao 80 em segundos. Sou indecisa, sou inconstante e extremamente intensa. Tenho picos de mau-humor, falta de paciência e etc. Sem contar o fato de ter uma vida bem "sacudida" bem atribulada...
Já me perguntei porque eu escolhi ser assim; não cheguei a conclusão nenhuma. Porque já me fiz de vítima, mas, por muitas vezes ainda sou, as coisas saem do meu controle, e quando eu não quero mais estar evidência, por algum motivo eu continuo.

Mudo á todo momento. Procuro sempre a melhor forma de sair das situações. Mas ainda assim, não tenho sucesso em todas as missões. Eu sei que esse texto ta confuso, mas eu precisava muito pôr pra fora o dia de hoje. Quando escrevo tento me entender, é a pausa que dou na minha cabeça para analisar tudo e assim ter a menos pior das atitudes.

As amigas hoje foram extremamente essenciais. Tenho medo que elas se cansem de mim; mas só posso dizer que elas podem contar comigo, e que tem de mim o que conquistaram, e eu não meço esforços para ajudá-las.
è óbvio que o assunto é o coração!
É engraçado ver o desespero delas em me ver "sofrer", ouvir os "puxões de orelha", as opiniões diversas, e etc.... Mas é esperançoso saber que junto delas eu vou superar mais uma!
seja de amor, seja de trabalho, seja como for!
é um exercício, uma espécie de treinamento da vida isso. E saber que você não precisa enfrentar tudo só é um alívio.
è clichê, mas hoje olhando em volta de mim e para quem eu escolhi para andar comigo, fica evidente: Tenho amigos para saber quem eu sou!

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Por parecer...

Parece domingo, mas não é.
Parece fim de mês, mas ainda falta.

Parece ser hoje, mas é amanhã!
Parece que quer, mas não quer.

Parece ser, e não é.
Parece ter e não tem.

Parece gostar, mas odeia.
Parece verdade e não mentira.
Parece samba mas é rock

Parece que tem,
mas falta...

Falta....

Falta tudo!

Parece, só parece...
Mas nunca foi!

domingo, 24 de janeiro de 2010

Cof Cof - Tirando a poeira!


Nem sei porque abandonei a escrita. Não me lembro em que momento achei que sobreviveria sem vomitar minhas emoções, minhas perdas, minhas conquistas, e tudo que centrifuga dentro de mim.

Bom, o fato é que o ano já virou. Eu nem vou ter tempo de fazer uma retrospectiva, um retrato falado, ou qualquer baboseira; porque acredito que tudo que já passou ficou no passado, né?

Redundante dizer que hoje já é amanhã; e que quando o vem o amanhã, vem a incerteza...


No final o que importa mesmo é "o querer"!

Querer tudo como se fosse a primeira vez.

Feliz 2010.