domingo, 23 de novembro de 2008

Meu bem...




A cidadezinha do interior guardava um sorriso lindo,
cheio de histórias. Um gosto leve de vinho tinto.

A casa nova, a conquista!

No seu portão, o melhor amigo do homem,
aquele que guarda seus dias de inverno e verão...
Um clima quente e musical. cada canto, um jeito .
O tempo não apagou nenhuma sensação ente nós.

Seu beijo tem um cheiro, além de sabor.
Para matar a fome, na colher te sirvo meu desejo,
intenso e vestido de mulher.
Sinto receio ao me encontrar, entregar... frio na barriga.
è o toque seu, é a tal propriedade que tanto falei
e acabou rasgando minha capa de proteção,
na madrugada, em meio a solidão.

Ò meu bem, nesse momento me sinto na sua.
ò meu bem, as horas passam, e eu só quero estar assim, nua.
ò querido, quem sabe um dia eu volto, estou levando lembranças suas...

Por falta de costume, pego a estrada tranquila.
Ainda estou com seu gosto na minha pele,
Quase posso sentir seus beijos;
Com você, já me sinto em casa... Meu bem!

7 comentários:

Lili disse...

Que lindo moça... Esse post me lembrou uma música da Marisa Monte... Vilarejo...

Beijosss, boa semana

meus instantes e momentos disse...

muito bom. Lindo.
Tenha um feliz semana.
Maurizio

Mari disse...

Irmã, estou aguardando um e-mail para saber em outros detalhes essa saga. amo vc. muito

Vinicius disse...

Carol gostei do seu "Meu bem". Muito bem contado em versos intensos e sensuais, com a forma do lápis beleza. E está em casa quando se está com quem se gosta.

Abraço,

http://sitedepoesias.com.br/poesias/35581

R.Vinicius

Bandys disse...

Nossa Carol, que lindo!

Amei...que inspiração.

Beijos

paula barros disse...

Oi, Carol obrigada pela visita e pela oportunidade de ler as maravilhas que você escreve.

Tem poesia, tem música, tem melodia que encanta.

Gostei muito.

abraços

Camilla Tebet disse...

Pegamos estradas tranquila por engano não é? Aqui ta lindo.
beijos